Há um nome no mercado mobile que é sinônimo de popularidade e que pode ser encontrado em nada menos de 93% dos aparelhos no país: estamos falando do Android, o sistema mobile do Google. Lançado oficialmente em 2007, este sistema foi a resposta da gigante da Internet para o iPhone e, junto do sistema da Apple, ajudou a inaugurar a nova era dos dispositivos de mobilidade. Com uma política mais aberta de produção e distribuição de apps, o Android vem atraindo cada vez mais desenvolvedores e ganhando mercado em todos os continentes, ano após ano.

Naturalmente, a força deste sistema, que detém há anos mais de 80% do mercado mundial segundo o IDC, atrai muitos desenvolvedores que enxergam aí um mercado vasto, duradouro e com boas possibilidades de crescimento profissional. Se este é seu caso, confira as principais informações sobre Android e sobre a carreira de programador nesta área.

O Android

Este sistema foi desenvolvido originalmente pela empresa Android Inc., que atraiu a atenção do Google e foi comprada em 2005. O desenvolvimento do produto ganhou enorme fôlego com o aporte da nova dona e, em 2007 foi lançado oficialmente; no ano seguinte, o primeiro telefone a receber o sistema – um HTC Dream – chegou ao mercado.

O Android tem um kernel baseado em Linux, o que está diretamente ligado à sua proposta de ser um sistema aberto, possível de ser modificado por distribuidores, uma oposição clara à política de controle da Apple, que já vinha desde a época do Macintosh. De fato, desde seu lançamento, fabricantes e desenvolvedores vêm trazendo ao público opções de interfaces bastante diferentes entre si – uma delas, inclusive, feita pela concorrente Microsoft e que conta com milhões de downloads no Google Play.

A versão mais recente do sistema foi lançada em 12/2017, a 8.0.1 “Oreo”, o que nos leva a outra curiosidade sobre este produto: cada versão tem algum nome relacionado a um tipo de doce ou sobremesa: Nougat, Lollipop, Cupcake, KitKat e outras já fizeram parte do cardápio do sistema do robozinho (segundo o Google, isso é porque os aparelhos Android deixam a vida mais doce, daí os nomes).

Dada a visão aberta de mercado, muitos fabricantes trabalham com esta plataforma – incluindo a Nokia atualmente, que ficou famosa por seu renascimento no cenário de celulares, ironicamente, usando Windows Phone – dentre as quais a Samsung tem, de longe, o maior mercado. Isso não significa, contudo, que as demais estão paradas e sem trazer novidades; pelo contrário, empresas como Sony, Asus, Motorola e alguns nomes menos conhecidos no país como Xiaomi têm produzido bons equipamentos, e tentado dividir o mercado, atraindo a atenção do consumidor com diferenciais que vão desde o acabamento diferente até um conjunto poderoso de processamento.

Aplicativos Android

Não tem como falar de smartphones sem falar de aplicativos, e neste quesito o Android também traz números superlativos. Lançada em 2008 como Android Market, a loja de aplicativos do Google – que serve tanto os celulares quanto desktops – teve seu nome alterado para Google Play para representar melhor sua diversidade de produtos e públicos. Em 2013 ela atingiu a marca de 1 milhão de aplicativos para celular, e hoje conta com 3,5 milhões de apps disponíveis, fazendo dela a maior loja de aplicativos para celular do mundo.

Mais uma vez alinhado à ideia de criar um ambiente aberto e mais livre, o Google Play oferece mais flexibilidade e menos restrições para publicar apps em seu ambiente, o que ajuda a atrair desenvolvedores de todos os níveis e mercados.

Desenvolvimento de apps para Android

Olhando para os aspectos técnicos, os apps de Android são construídos primariamente em Java, linguagem escolhida por sua flexibilidade e popularidade em aplicações que vão desde eletrônicos até web. É uma linguagem versátil, mas que exige bastante técnica do programador e, por isso, vale a pena investir em um curso para desenvolvimento Android de alto nível. Por outro lado, é uma linguagem robusta e já muito popular, então acaba sendo um atrativo para programadores de outras áreas que já conhecem Java e querem migrar para o mobile.

Outra linguagem que ganhou destaque nesta plataforma é a Kotlin, uma linguagem com ótima compatibilidade com Java e capacidade de rodar muito bem no Java Virtual Machine; mais compacta e mais simples, esta linguagem desenvolvida na Rùssia tem sido bem aceita em todo o mundo e, graças à sua ótima performance, foi escolhida para expandir as possibilidades de linguagens aceitas no Android, similarmente ao que a Apple fez ao adotar o Swift como uma adição ao ObjC.

Ainda há a possibilidade do desenvolvimento de híbrido por meio de plataformas como Corona, Cordova e por meio do PhoneGap, que permite a criação de apps em HTML para publicação multiplataforma. Esta, contudo, não é a melhor opção para quem quer desenvolver um app com máxima performance, uma vez que os aplicativos híbridos normalmente não oferecem o mesmo nível de performance e estabilidade que seus equivalentes nativos.

Comparativamente com iOS, o principal concorrente, os apps de Android são compostos por mais linhas, o que pode significar mais tempo de codificação, mas, se bem construídos, são tão estáveis, rápidos e flexíveis quanto os programas feitos em Swift (linguagem da Apple). Por outro lado, a grande variedade de hardwares rodando Android faz com que nem todos os apps tenham o mesmo nível de desempenho, de modo que o projeto do aplicativo já deva considerar em que perfil de aparelho se planeja rodar o app.

O mercado Android

Com a maior loja de apps do mundo e dominando a esmagadora maioria dos aparelhos no país, é natural que o mercado de desenvolvedores para esta área esteja aquecido. De acordo com o Love Mondays, a média salarial para este tipo de profissional é de R$5.207,00, com um mínimo de R$1.400,00 e teto de R$9.800,00. Em se tratando de um programador Java, é possível notar que estes valores estão relativamente próximos do dev Java Sênior, que tem variação de R$2.500,00 até R$10.900,00. Assim como no caso de desenvolvedores iOS, os especialistas em Android têm boas oportunidades de obter ganhos interessantes atuando na área.

Para aqueles que querem trabalhar como desenvolvedores em empresas, as notícias são animadoras: existem vagas em companhias tão variadas como agências de publicidade, fintechs, empresas de transporte e muitas outras, o que evidencia a flexibilidade deste mercado. Contudo, sempre é importante destacar: as vagas boas são destinadas aos profissionais mais preparados.

O desenvolvedor Android

Como qualquer profissional de tecnologia e programação atual, o dev Android precisa ter boas habilidades sociais para trabalhar dentro de equipes multidisciplinares, com designers, marqueteiros, redatores e outros, de modo a ser uma peça bem alinhada no time. Além disso, é fundamental conhecer bem sua linguagem de base e, nessa hora, a formação é o grande diferencial.

Muita gente acredita que cursos e tutoriais gratuitos na web são suficientes para uma boa formação, que a prática resolve o problema, mas isso não é verdade. Um bom curso para Android deve ter diferenciais como aula ao vivo e turmas reduzidas para que os instrutores possam dar atenção aos alunos, permitindo suporte a dúvidas em tempo real, e não por meio de fóruns.

Além disso, quem quer criar seu próprio app para Android precisa optar por um curso que tenha metodologia baseada em desafios, onde o aluno crie um projeto do zero e cumpra todas as etapas para realmente desenvolver um app de qualidade. Isso é algo que não se encontra em cursos online gratuitos ou muito baratos, pois requer uma carga horária grande; para comparação, enquanto um curso gravado tem por volta de 40h, os cursos da Quaddro têm 200h, o que se traduz em 5x mais conteúdo e prática para os alunos.

Um bom curso também deve contar com professores com experiência de mercado, amplo domínio técnico e boa didática, fazendo o aluno extrair o máximo de cada aula. Junte isso ao material didático completo e avançado e a grande interação com o instrutor e os outros alunos, e você verá que não tem comparação: quem quer entrar no mundo da programação Android, precisa se preparar com um curso de alto nível, que ofereça todos os recursos para alunos de qualquer nível de conhecimento, e realmente dê uma base sólida para sua carreira.

Não perca tempo: se você quer embarcar neste mercado, invista em sua formação com o que há de melhor no mercado e torne-se um desenvolvedor profissional de Android. Fale hoje mesmo com a Quaddro e comece esta nova jornada em sua carreira!